Estão tentando nos enganar – Biscoito PASSATEMPO

Propaganda enganosa da Nestlé?

Se olharmos com atenção os detalhes da “fachada” do produto biscoito recheado Passatempo, percebe-se a seguinte frase:

“Biscoito recheado sabor chocolate alpino rico em cálcio.”

Vá aos ingredientes do Passatempo: o único componente que pode ter alguma relação com a frase destacada é o cacau em pó. Mas cacau em pó é ingrediente de quase todos os chocolates do mercado.

Para não parecer que a afirmação é leviana, vamos ao site da Nestlé. Quem sabe o Alpino e o Passatempo têm algo em comum que seja diferente dos demais produtos?

Ingredientes do Chocolate Alpino: açúcar, cacau, leite em pó integral, soro de leite em pó, gordura vegetal, gordura anidra de leite, emulsificantes lecitina de soja e ricinoleato de glicerila e aromatizantes. Contém Glúten. Contém traços de castanha de caju e amendoim.

Ingredientes do chocolate Classic: açúcar, cacau, leite em pó integral, soro de leite em pó, gordura vegetal, gordura anidra de leite, emulsificantes lecitina de soja e ricinoleato de glicerila e aromatizante. Contém Glúten traços de castanha de caju e amendoim.

A única diferença entre os dois é um “s” no plural da palavra aromatizante, no Alpino. Se são estes aromatizantes a mais que o Alpino tem e que estariam presentes no Passatempo, a Nestlé teria que dizer “com aroma de chocolate Alpino” e não “com sabor …”.

Logo a expressão “sabor chocolate alpino” não tem respaldo na lista dos ingredientes do Passatempo. Poderia ser igualmente “sabor chocolate Classic”. Como, pelo jeito, poderia ser sabor a qualquer outro chocolate.

Pelo lado inverso, a Nestlé se aproveita do fato de que é difícil provar que este biscoito, bombadíssimo em açúcar, não tem sabor de chocolate alpino, uma vez que este sabor é um conceito vago e indefinido.

A não ser que o cacau em pó usado neste biscoito venha dos Alpes .

Você tem idéia de por que a Nestlé faria uma coisa dessas com seus clientes?

O site da empresa afirma que “Promover a cultura da boa alimentação, respeitar o consumidor e a identidade de cada povo, valorizar seus colaboradores e aplicar a tecnologia a serviço da vida são preocupações básicas da Nestlé, desde sua origem.” O texto em azul foi destacado por nós.

Esta entrada foi publicada em Estão tentando nos enganar e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

16 respostas a Estão tentando nos enganar – Biscoito PASSATEMPO

  1. Ana Karoline disse:

    E. Mmmmmmmm. Bom. Amo. Passatempo

  2. David Wellington disse:

    Voltar o recheio alpino pois é o único diferencial das outras bolachas

  3. Fabio disse:

    Não é defendendo a Nestlé mas…
    O sabor não depende SÓ do paladar.
    Prefiro a alimentação saudável. Natural. Nada de produtos industrializados

  4. wendel disse:

    o biscoito passatempo, já foi bom, na década de 90..era simplesmente surreal…até 2009 era aceitável, mas agora em 2017, está deplorável.
    o biscoito está quebradiço e seco, não é mais cremoso como antes ao ponto de comermos até a versão sem recheio. resumindo está uma merda

  5. Débora disse:

    Foi-se o tempo em que Passatempo recheada era boa. Quando era criança me lembro que esses biscoitos não eram da Nestlé e sim da antiga São Luiz.
    O “Passatempo” sem recheio antigamente chamava-se Divertidos, e era muito, mas muito, melhor do que os Passatempo lançados em 1994 e 1995, como a colega falou acima (bons tempos, por sinal).
    Esses Passatempo com receitas novas são péssimos! Antigamente consumia mais, comprava mais, hoje a qualidade caiu muito. Não vale a pena.

  6. Candy disse:

    Agora tudo faz sentido.Desde que mudaram a embalagem o sabor nunca mais foi mesmo, reformularam e ela ficou muito ruim e enjoativa.

  7. Rita Patricia Goncalves Bretas disse:

    Com certeza eles mudaram alguma coisa na produção, porque o gosto era simplesmente maravilhoso, sabor único. Agora, igual a qualquer biscoito do mercado.
    Fora que estão terrivelmente quebradiças, não se consegue tirar um biscoito inteiro do pacote. Ou abre o pacote todo pra manter os biscoitos íntegros ou vai comendo farinha de passatempo.

  8. Angela Moreira disse:

    Realmente, hj que descobri que a passatempo nao é mais recheado cm chocolate alpino, ta ai o pq de não gostar mais dela. Logo qdo lançou o sabor era único, não havia bolacha melhor q ela, que agora esta por desejar.

  9. malvina rodrigues disse:

    Tem uma coisa que percebi no passatempo sem recheio, na embalagem vem escrito: 150g sendo 30g a cada 5 biscoitos, mas no pacote vem 30 biscoitos que equivalem a 180g ou estão nos enganando ao comer 5 biscoitos que na verdade tem mais 30g e aumentando assim a quantidade de calorias descrita na tabela nutricional? Bom uma atendente me explicou que eles colocam sim alguns biscoitos a mais na embalagem, então o correto seria colocar 180g e não 150g. Nos faz repensar sobre as tabelas nutricionais que vem nas embalagens dos produtos que compramos e não percebemos essa diferença que pode ser grande.

  10. Luana disse:

    Decepcionada com sabor ja que nao e o mesmo sabor deveriam vender mais barato pois vender um produto que ja nao tem o mesmo sabor isso e enganar o consumidor por mim se nao mudarem o sabor vao perder varios clientes

  11. Fernanda Mayra disse:

    Eu era ávida consumidora da bolacha Passatempo logo no – acredito eu – início de sua produção, lá por 1994, 1995. O sabor era sensacional, e posso afirmar, com certeza, que o recheio era de chocolate alpino, sim.
    Ou seja, eles devem, mesmo mudando o processo produtivo, ter deixado a embalagem do jeito que era (‘sabor chocolate alpino’), até mesmo pra não causar alarde.
    Sempre me perguntei o pq da mudança do sabor do recheio, e pra pior!!! Não sabia dessa questão da gordura trans, que o André citou…
    De todo modo, essa bolacha de hoje em dia, banhada no açúcar, nem se compara à delícia que Passatempo já foi, com seu recheio de chocolate alpino…

  12. Victor Soares disse:

    É justamente os aromatizantes que mudam o sabor dos alimentos… Aroma tem tudo a ver com paladar.

    E, com relação ao que Andre escreveu, não se engane. As “gorduras vegetais” utilizadas na maioria dos alimentos industrializados não são as caras gorduras de cacau ou de coco, e sim, gordura vegetal hidrogenada (óleo vegetal passado pelo processo de hidrogenação – ou seja lá como se chama – artificial para alcançar o estado sólido), que nada mais é do que mais uma gordura trans.

  13. Amanda disse:

    Exatamente, o segredo do Alpino está no “S”, são os aromatizantes que o diferenciam entre os demais… Mas o passatempo pode ter aroma de alpino e não sabor, mas lembra muito e é uma delícia… O que não vem ao caso agora mas vale a pena pesquisar é: “Por que a BEBIDA DE ALPINO NÃO CONTÉM ALPINOOOOOO?”

    SÉRIO, TO INDIGNADA… Na embalagem diz: “Esta bebida não contém chocolate alpino”, não contém mesmo e nem tem gosto nem cheiro e nem nada, é um achocolatado qualquer, em forma de propaganda enganosa a fim de roubar nosso dinheiro, que pagamos mais pelo produto a fim de saborear a delícia que ele teria que ser ao nosso paladar!

  14. Andre disse:

    Renata, antigamente os biscoitos eram mais saborosos justamente por conta da famosa gordura trans, que faz um mal danado pra saúde mas é uma delícia. A marcas famosas bem tentam deixar os seus biscoitos gostosos como eram antigamente, mas ainda não se conseguiu chegar no sabor que a gordura hidrogenada dá ao produto sem que esse faça tanto mal à saúde.

    Agora, quanto ao post. Paulo, você está tão chateado porque estão dizendo que o biscoito tem sabor de chocolate alpino, quando na verdade só tem aroma de chocolate alpino? Cara, você bem deve saber que qualquer chocolate é basicamente a mesma coisa, só mudando os aromatizantes. Aliás, qualquer alimento industrializado e processado é assim, biscoitos, sucos, refrigerantes, batatas fritas. Eu acho que o ponto focal da tentativa de nos enganar não está aí, mas sim em tentarem nos convencer de que esses alimentos podem contribuir para nossa saúde, quando na verdade são bombas contra ela.

  15. Paulo Guimarães disse:

    Renata, não encontramos até agora trabalhos completos sobre efeitos cumulativos de radiação que envolvam o consumo de alimentos. Assim que conseguirmos algum trabalho faremos um texto sobre o assunto. Felizmente, no Brasil, o uso da radiação como método de conservação de alimentos ainda é muito restrito. Obrigado pelo incentivo.

  16. Renata Corrêa disse:

    Olá, adorei o blog. Diante de todas essas doenças, principalmente câncer, estou cada vez mais desacreditada dessas indústrias de “marcas famosas”. Antigamente os biscoitos eram mais saborosos, me lembro até que o passatempo e o bono eram os melhores do mercado, hoje nem compensam levar para casa porque além da falta de sabor existem os riscos de ingrediantes não conhecidos.
    Gostaria também de tirar uma dúvida a respeito de alimentos tratados por irradiação, já exitem estudos sobre esfeitos cumulativos no ser humano?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *