Usar Protetor Solar?

Há algum tempo uma destas mensagens que viram praga na Internet, anexadas a e-mail, trazia um texto que era até interessante, conclamando as pessoas a viverem a vida, ousarem, se arriscarem, buscarem a felicidade. Mas a cada sugestão de ousadia, o texto intercalava uma recomendação do tipo “mas não se esqueça, use protetor solar”, de forma repetida, inúmeras vezes ao longo de todo o texto.

A mensagem final que ficava era que a pessoa deveria ousar para buscar a felicidade, mas com um mínimo de proteção e segurança traduzida, no caso, pelo uso de protetor solar. E o texto não tinha o apoio de nenhum dos fabricantes de protetor solar, ou melhor, não tinha o patrocínio porque apoio, certamente, o teria de todos.

A divulgação cada vez mais massiva do índice de incidência solar, seja através dos meios de comunicação, seja diretamente em painéis nas praias, também são fatores indutores do uso de protetores solares. Tenho uma amiga que não sai de casa sem antes consultar a previsão de radiação UV para o dia.

Se os órgãos do governo aprovam os protetores solares, se a mídia, além de veicular propaganda, divulga seu uso através de reportagens e conselhos, quem é que iria desconfiar de um produto tão útil, tão bom para as pessoas?

Pois a PRO TESTE – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, entidade independente e sem fins lucrativos, mantida por seus associados e que, entre outras atividades, realiza testes comparativos entre diversos produtos, testou, no segundo semestre de 2009, os protetores solares mais comuns no mercado brasileiro.

Os resultados foram estarrecedores:

A maioria não é fotoestável, ou seja, perdem a eficácia quando expostos à luz e ao calor!!!

– Apenas três das dez marcas testadas não possuíam o benzophenone-3, componente proibido em outros países por ser potencialmente cancerígeno.

– Muitos tinham baixa proteção aos raios UVA.

– Apenas duas das dez marcas de protetores testados foram aprovadas no teste.

Precisa comentar mais?

Além dos resultados que citamos, foram testadas também as perdas residuais na embalagem, a facilidade em espalhar o produto, a hidratação, a irritabilidade do produto etc. Se alguém desejar maiores detalhes é possível obtê-los acessando o site da PRO TESTE. Ou então, a reportagem pode ser acessada aqui.

Recente trabalho da dermatologista Sarita Martins, da Faculdade de Medicina da USP, com 20 pescadores da cidade de Recife que não usam protetor solar e têm exposição de até 12 horas diárias ao sol, constatou que eles não só não apresentavam problemas de câncer de pele como possuíam células imunológicas contra o câncer de pele.

É um estudo pequeno e focalizado demais para que possa ser extrapolado para outros grupos, mas sinaliza com uma área de potencial estudo futuro, desde que as indústrias farmacêutica e cosmética não se intrometam, o que vai ser difícil.

Eu, particularmente, poucas vezes usei protetor solar e o abandonei por completo há alguns anos. Até agora, não tive problemas.

Esta entrada foi publicada em Principal e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Usar Protetor Solar?

  1. Paulo Guimarães disse:

    Pat, grato pelo teu incentivo. Considera tua sugestão como acatada.
    Um abraço, Paulo Guimarães.

  2. Olá Paulo, parabéns por divulgar de forma tão clara e objetiva informações tão importantes e pouco divulgadas (por uma óbivi falta de interesse comercial).

    Voc6e já conhece esse texto sobre o bom e o mal sol? http://www.enxaqueca.com.br/blog/?p=130 Acho qe o texto vai bem de encontro ao que você diz!

  3. Paulo Guimarães disse:

    Isabella, o jeito é ir curtindo a pele devagar. Apesar de pedalar e caminhar muito no sol, sem camisa, eu evito fazer isso nas horas de sol mais a pino. Mesmo assim, de vez em quando, fico vermelho. Obrigado pelas tuas visitas ao blogue. Paulo.

  4. Isabella disse:

    Sou totalmente leiga no assunto. Pra você ter ideia, faz pouco tempo que ouvi falar que protetor solar nem bem pra saúde faz.

    Antes passava todos os dias, tudo recomendado pela dermatologista.

    Entendo tudo isso, mas, o que fazer se vou à praia? O jeito, então, é não abusar do protetor, né? Porque tenho a pele muito branca, tenho que ter alguma proteção. Uma horinha andando no mormaço já é capaz de me deixar roxa (e eu tinha esquecido disso até acontecer de novo na semana passada)…

    O segredo, enquanto não sou pescadora em Recife (hohoho) é não abusar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *